Breve Historial

Fundado em Fevereiro de 1963, o Rancho Folclórico Rosas do Lena constitui uma representação etnográfica do concelho da Batalha e da Alta Estremadura.

Durante cerca de sessenta anos de actividade ininterrupta o Rancho Folclórico Rosas do Lena, com sede na Rebolaria a um escasso quilómetro do Mosteiro Santa Maria da Vitória, foi distinguido com diversos galardões oficiais e significativos prémios, fundou um dos raros museus etnográficos portugueses, uma biblioteca etnográfica e uma escola de concertinas e harmónios que reabilitou estes instrumentos e revitalizou a Música Folclórica. Ao longo do ano são diversas as suas iniciativas, na sua sede e na Vila da Batalha, desde festivais nacionais e internacionais de Folclore, a exposições e oficinas temáticas, sessões e espectáculos de divulgação da Cultura Popular.

Nos trajos reproduz os de mordomos e oferteiras, almocreves, de uma maneira geral trajos domingueiros e alguns de trabalho.

Nas danças apresenta viras e fandangos de expressão estremenha, bailaricos, fadinhos, modas de dois passos, tacões-e-bicos, cirandas entre outras.

Nos jogos, jogo do mioto e jogo do pau.

Foi distinguido com medalhas de ouro e prata do Município da Batalha, medalhão de prata da Região de Turismo de Leiria, taça da cidade francesa de Villeurbanne, três prémios do INATEL, Medalha de Mérito Cultural da Academia de Letras e Artes de Paranapuã do Rio de Janeiro.

Fez milhares de atuações no nosso País com especial relevo para a participação na “Expo 98” e em “Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012”.
Realizou 34 digressões no estrangeiro, com participação em festivais internacionais e mundiais em Alemanha, Áustria, Croácia, Eslováquia, Eslovénia, Espanha, Estónia, França, Holanda, Hungria, Itália (Sardenha e Sicília), Lituânia, Polónia, Rússia, Sérvia e Ucrânia, vários com a chancela do CIOFF.

Editou 14 gravações discográficas e 1 DVD.

Promoveu os espectáculos etnográficos “A Batalha a Cantar e a Dançar, da Quaresma a Santo António” e um “Um Serão na Alta Estremadura”.

Criou e realiza as Galas Internacionais de Folclore da Batalha, o “FestiBatalha”, os Encontros Nacionais de Cantadores e Tocadores de Instrumentos Tradicionais, os Encontros Regionais de Cânticos da Quaresma, a Adiafa Cultural, o Museu ao vivo e as Tardes na Ponde da Boutaca.

É membro efectivo da Federação do Folclore Português e do CIOFF.